É um vendedor? Então participe do nosso Grupo no facebook ➤

Grupo de vendas MultiMidia E-Commerce

domingo, 22 de março de 2020

Coronavírus: BNDES anuncia medidas para injetar R$ 55 bilhões na economia

MultiMidia Info

Medidas incluem repasse de R$ 20 bilhões para o FGTS, suspensão de pagamentos de empréstimos e mais crédito para micro e pequenas empresas

Maurício A. C./Flickr

O Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) anunciou neste domingo, 22, medidas emergenciais para conter os impactos da pandemia do coronavírus. Juntas, as ações injetam 55 bilhões de reais na economia e durarão todo o período em que a crise instaurada pela Covid-19 se estender. O valor é próximo ao total desembolsado pelo banco em todo o ano de 2019 e deve, segundo a instituição, ter influência em cerca de 150.000 empresas, com cerca de dois milhões de funcionários no total.

As medidas incluem o envio de 20 bilhões de reais do sistema PIS/Pasep para o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) – o que permitirá a ampliação dos saques pelos trabalhadores -, a suspensão por seis meses dos pagamentos de amortizações e juros de empréstimos contratados com o BNDES e a destinação de 5 bilhões de reais para micro, pequenas e médias – haverá também aumento do limite máximo de crédito, que passará de 10 milhões de reais para 70 milhões de reais por cliente.

De acordo com o BNDES, serão atendidos com a ação setores como petróleo e gás, aeroportos, portos, energia, transporte, mobilidade urbana, saúde, indústria e comércio e serviços. As medidas foram anunciadas em um vídeo ao vivo com o presidente do BNDES, Gustavo Montezano, e com a participação do presidente da República, Jair Bolsonaro. Na transmissão foi informado ainda que 100% dos funcionários do BNDES estão trabalhando remotamente, colaborando com o distanciamento social proposto pelo Ministério da Saúde.

Fonte: Veja

sexta-feira, 20 de março de 2020

Bancos prometem adiar dívidas sem multas, mas clientes contestam serviço

MultiMidia Info
Estadão Conteúdo / Shutterstock

Os bancos colocaram em prática esta semana novas regras para clientes que estão com dinheiro curto depois que as restrições determinadas pelo governo para conter o novo coronavírus acabaram afetando a vida financeira de famílias e empresas. Entre as novas condições, Banco do Brasil, Caixa, Itaú Unibanco, Bradesco e Santander dizem que vão prorrogar pagamento de dívidas sem a cobrança multas.

As medidas foram tomadas depois que o Banco Central liberou R$ 56 bilhões que os bancos são obrigados a deixar separados, como colchão de segurança. Dessa forma, as instituições financeiras puderam aumentar as linhas de crédito sem custo extra para elas. Mas clientes dizem que não estão conseguindo acessar o benefício. Além de pessoas com dificuldades para obter informações sobre como prorrogar as parcelas, há consumidores que relatam que tiveram o pedido negado ou, quando conseguem a mudança, há cobrança de juros pelo tempo a mais do parcelamento.

quarta-feira, 11 de março de 2020

Ibovespa cai 10% e interrompe as operações após OMS declarar pandemia

MultiMidia Info

As bolsas internacionais também aumentaram as perdas. O índice da Nasdaq caía 4,33%, enquanto o Dow Jones recuava 4,93% e o S&P 500, 4,47%

Ibovespa: índice amplia queda com o anúncio da OMS de que o surto do coronavírus atingiu o status de pandemia (d3sign/Getty Images)

 O Ibovespa, principal indicador da bolsa brasileira, ampliava a queda na tarde desta quarta-feira (11), após a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarar pandemia de coronavírus. Por volta das 15h15, o índice caía mais de 10% e as negociações foram interrompidas por 30 minutos, pelo mecanismo de circuit breaker, espécie de mecanismo contra o pânico (algo como “quebrador do circuito”, na tradução do inglês). Com o recurso, a B3 tem o direito de parar o pregão caso as quedas sejam muito fortes.

Lá fora, as bolsas também ampliaram as perdas. O índice da Nasdaq caía 5,5%, enquanto o Dow Jones recuava 5,26% e o S&P 500, 5,05%.

“As pessoas vendem porque o preço está caindo, não baseado em fundamentos”, explica Adriano Cantreva, sócio da Portofino Investimentos. É quase um círculo vicioso: “quanto mais cai, mais aparece vendedor”. As dúvidas sobre a extensão da doença ganham força em um dia em que os investidores esperavam medidas mais concretas para conter a disseminação da doença nos Estados Unidos.

Pela manhã, a pressão sobre os mercados vinha da frustração dos investidores com o anúncio genérico sobre estímulos econômicos contra os efeitos do coronavírus do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. 

Trump anunciou que o governo poderia reduzir os impostos sobre a folha de pagamentos e propor uma elevação da remuneração mínima para os trabalhadores. Além disso, o governo americano afirmou que poderia propor ao Congresso medidas para beneficiar as pequenas e médias empresas.

“A falta de detalhes fez com que a alta não fosse capaz de se sustentar e frustrou o mercado. A alegria durou pouco”, afirmou Rafael Bevilacqua, estrategista-chefe da casa de análises Levante. 

A doença já deixou mais de 4 mil mortos e cerca de 120 mil infectados no mundo — a maioria na China, Itália e Irã, países com as maiores incidências do vírus. “Esta não é somente uma crise de saúde pública, mas uma crise que vai afetar todos os setores — e todos eles precisam estar envolvidos na luta contra o vírus”, afirmou a Organização em uma série de tuites, também salientando a importância de as pessoas não entrarem em pânico apesar da nova definição.

“Essa notícia da OMS joga mais lenha na fogueira. Podemos ir além de uma mera correção [da alta de ontem]. Agora o mercado está processando que o negócio pode ser muito grave”, disse Eduardo Guimarães, analista da Levante Investimentos.

Já os analistas da Terra Investimentos destacaram ainda o aumento no número de infectados pelo coronavírus, sendo reforçados pelo lado interno, marcado pela demora de medidas do governo sobre reformas e de combate aos impactos do vírus na economia.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, enviou mensagem ao Congresso na noite de terça-feira com pedido aos presidentes da Câmara e do Senado para que acelerem a pauta de medidas econômicas.

Diante deste cenário, a equipe econômica cortou projeção de crescimento neste ano a 2,1%, ante patamar de 2,4% calculado em janeiro. A estimativa ainda é superior à expansão de 1,99% esperada pelos economistas para a economia neste ano, conforme boletim Focus mais recente.

Ações em destaque
As ações preferenciais da Petrobras, com grande peso no Ibovespa, recuavam mais de 8,37% e puxavam o principal índice da B3 para baixo. O ativo segue pressionado pelo conflito comercial entre Arábia Saudita e Rússia, que gira em torno do preço do petróleo.

Já os papéis da TIM se destacavam positivamente, com alta de 4,48%, após anunciar uma possível aquisição em conjunto com a Telefônica Brasil de todo o negócio de telefonia móvel da Oi.

Por: Da redação com Reuters

quinta-feira, 5 de março de 2020

IRB Brasil muda comando em meio a crise de confiança que derrubou ações

MultiMidia Info

Na véspera, ações da companhia fecharam em queda de quase 32%, equivalente a uma perda de cerca de R$ 8 bilhões em valor de mercado.


O IRB Brasil Resseguros anunciou na noite de quarta-feira(4) que Werner Süffert foi eleito pelo conselho de administração para assumir a presidência da companhia interinamente, após renúncia de José Carlos Cardoso, na esteira de uma série de eventos que afetaram a confiança de investidores na resseguradora, resultando em uma queda de mais de 50% das ações da empresa desde o começo do ano.

Süffert, que ocupava o cargo de diretor de finanças, relações com investidores e gestão de participação na BB Seguridade, assume ainda o cargo de vice-presidente-executivo, financeiro e de relações com investidores do IRB, uma vez que Fernando Passos também renunciou.

“A posse do novo executivo se dará tão logo concluídas todas as providências relacionadas ao seu desligamento da função ocupada na BB Seguridade, assim como os demais trâmites regulatórios aplicáveis”, afirmou o IRB em fato relevante, acrescentando que ele atuará como presidente interino até a chegada de um novo executivo.

Em fato relevante separado, a BB Seguridade afirmou que o conselho designou o diretor-presidente, Bernardo de Azevedo Silva Rothe, para acumular interinamente as funções de Süffert, que renunciou na quarta-feira ao cargo que ocupava na empresa de seguros e previdência do Banco do Brasil.

O IRB afirmou ainda que o seu conselho de administração manteve a determinação à Diretoria Estatutária para instalação de um procedimento de apuração com objetivo de identificar as circunstâncias exatas da divulgação de informações, pela companhia, relativas à sua base acionária.

Na quarta-feira, as ações do IRB Brasil RE chegaram a desabar mais de 40%, após a Berkshire Hathaway ter afirmado que não é acionista da resseguradora brasileira e nem pretende ser.

O comunicado da holding de investimentos de Warren Buffet foi divulgado após notícias na mídia segundo as quais ela teria aumentado participação no IRB, o que, segundo analistas, foi referendado por executivos em teleconferência recente da empresa.

As ações da companhia, que tem entre os maiores acionistas a Bradesco Seguros (15,2%) e Itaú Seguros (11,1%), fecharam o pregão de quarta-feira com queda de quase 32%, equivalente a uma perda de cerca de R$ 8 bilhões em valor de mercado em relação ao fechamento de terça-feira e de pouco mais de 18 bilhões de reais no acumulado do ano.

Informações conflitantes relacionadas à cronologia da saída do presidente do conselho, Ivan Monteiro, bem como as razões que o fizeram deixar a resseguradora também adicionaram insegurança aos investidores, conforme agentes financeiros ainda digerem questionamentos recentes da gestora Squadra em relação às informações financeiras divulgadas pelo IRB.

Analistas do Bank of America Securities colocaram na quarta-feira em revisão a recomendação de "compra" que reforçaram na segunda-feira para as ações do IRB. Na ocasião, os analistas tinham reiterado o call e elevaram o preço-alvo da ação da resseguradora para 44 reais. Mas na quarta-feira eles alertaram os investidores para que não utilizem mais suas previsões e recomendações anteriores sobre a resseguradora.

A equipe do Citi também alertou em relatório a clientes na quarta-feira que sua tese de investimentos sobre o IRB “não é mais precisa” e cortou a recomendação para a ação para "neutra", com preço-alvo de R$ 18, acrescentando que espera informações adicionais.

Fonte: Reuters

MultiMidia E-Commerce ©2019-2020. All Rights Reserved.Blogger TemplatesCONTATOS ATRAVÉS DO NOSSO EMAIL: marketing@mundoms.com Templatelib