Vitalik Buterin, 27, cofundador da rede Ethereum, afirmou, em entrevista à CNN, que mercados cripto não estarão no encalço do poder de movimentação de mercado de Elon Musk, CEO da Tesla (TSLA; TSLA34), por muito tempo.

Os tuítes Elon Musk são algo que o setor cripto acabou de conhecer, pela primeira vez, literalmente no ano passado e neste ano. Eu acho razoável esperar um pouco de loucura, mas acredito que os mercados vão aprender. Elon não terá essa influência para sempre.

Segundo Buterin, Musk não terá essa influência para sempre. Seus seguidores, uma hora, vão se cansar do “chove-não-molha” do bilionário (Imagem: Pixabay/outsideclick)

Buterin explicou que, embora cripto esteja à mercê dos tuítes de Musk agora, irá “desenvolver um sistema imunológico ao longo do tempo”.

Neste momento, ninguém domina mais a conversa sobre criptomoedas do que Musk. Seus tuítes sobre dogecoin (DOGE) e bitcoin (BTC) fizeram o preço das moedas oscilarem drasticamente.

Em 4 de fevereiro, um tuíte sobre dogecoin, com a frase “de nada” e uma montagem referente ao filme Rei Leão, fez o ativo subir 40% em meia hora.

Há uma semana, Musk fez o preço do bitcoin despencar 15% quando tuitou que, devido a questões regulatórias sobre o impacto ambiental da mineração de bitcoin, a Tesla não iria mais aceitar pagamentos com a criptomoeda.

Em sua entrevista, Buterin considerou o amor de Musk à dogecoin como um sinal de humanidade em vez de enganação.

O fato de ele ser um superbilionário e operar a Tesla e a SpaceX e todas essas coisas não altera o fato de que ele é um humano — e humanos se empolgam com moedas de cachorrinho. Eu não acredito que Elon tenha uma intenção maléfica sobre isso.

Ainda assim, a decisão de Musk em relação ao bitcoin pode ter favorecido a criptomoeda de Buterin. Ether (ETH) é a segunda maior criptomoeda por capitalização de mercado, com US$ 268 bilhões de ativos em circulação. Porém, o bitcoin tem quase o triplo disso: US$ 705 bilhões.

Ambas as moedas fazem uso do mecanismo proof-of-work (PoW), dependente do processo de mineração, responsável pela emissão de novos ativos e pela segurança de suas respectivas redes blockchain. Porém, muitos criticam o alto consumo de energia da atividade.

Por isso, a Ethereum tem um plano de migrar para um modelo proof-of-stake (PoS), chamado de Ethereum 2.0, que depende da participação de seus usuários, e não da mineração.

A Ethereum Foundation afirma que a migração tornará a rede 99,95% mais energeticamente eficiente.

Quando Matt Egan, repórter da CNN Business, perguntou se estamos no meio de uma bolha cripto, Buterin hesitou, mas respondeu:

Eu diria que sim, mas isso obviamente não vem junto com uma previsão sobre quando a bolha irá acabar, pois isso é evidentemente difícil de prever.

Deixe seu comentário:

Postagem Anterior Próxima Postagem

Cotação em tempo real do Bitcoin: