➤Siga nosso perfil oficial no Twitter , Se Inscreva em nosso canal no YouTube "MultiMidia Info"
.

Preso nos Estados Unidos desenvolvedor da criptomoeda Monero

A acusação de fraude bancária também foi corroborada pela página da Polícia da África do Sul, que tinha uma página de procurado informando sobre o caso de Spagni.


Riccardo Spagni, conhecido na comunidade de criptomoedas como Fluffy Pony, foi um dos principais desenvolvedores da Monero e foi um dos principais mantenedores do projeto. Spagni foi preso hoje nos Estados Unidos a pedido do governo da África do Sul, acusado de fraude enquanto trabalhava em uma empresa do país.

Um dos primeiros a noticiar a prisão foi o Cobra, outro nome muito conhecido dentro do criptomercado. Em uma postagem no Twitter ele afirmou que Fluffy Pony estava em custódia dos EUA.

“Há apenas um mês que ele mandou mensagem para mim pelo Twitter e ofereceu suporte e apoio. Agora ele está enfrentando as suas próprias batalhas legais. Desejando o melhor a ele.”


As informações sobre a prisão do desenvolvedor do Monero ainda são escassas, mas ao que tudo indica a prisão não tem nenhuma ligação com a criptomoeda ou o criptomercado.

Segundo documentos da Corte de Tennessee, onde a prisão aconteceu, o pedido de extradição (que foi acatado) veio da África do Sul e Spagni é acusado de ter cometido várias fraudes durante o tempo em que ele trabalhou na empresa africana Cape Cookies.

Segundo as informações da corte, quando ele era funcionário da empresa, o ex-desenvolvedor da Monero desviou pagamentos de outra empresa.

“Spagni usou informações falsas para fabricar cobranças se passando pela Ensync, aproveitando as informações que tinha sobre a companhia como o Value Added Tax (VAT), número bancário e informações de contas. Spagni então inflou os preços de serviços e produtos.”

A acusação de fraude bancária também foi corroborada pela página da Polícia da África do Sul, que tinha uma página de procurado informando sobre o caso de Spagni.

De acordo com a polícia da África do Sul, o suspeito aproveitou sua posição de funcionário para criar companhias fictícias com suas contas bancárias e cobrava por serviços e produtos.

A polícia estima que Spagni causou um prejuízo de R1.453.561 (Rand, moeda oficial da África), cerca de R$518.437.

A investigação já estava acontecendo no país e Spagni tinha até mesmo sido convocado pela corte, mas não compareceu nas duas ocasiões e as tentativas de estabelecer a localização e contato com o acusado foram fracassadas. Com isso a polícia local realizou o pedido de prisão, que foi cumprido nos EUA.

Mandado de prisão de Spagni publicado no site da Polícia da África do Sul.

Spagni foi preso no estado de Tennessee durante uma parada de abastecimento de um jatinho em que ele tinha fretado para uma viagem para Los Cabos, no México. Possivelmente a prisão não terá efeito nenhum na criptomoeda Monero.

Categorias:

Postar um comentário

0 Comentários
*Por favor não faça spam aquí. Todos os comentários são revisados por um administrador.

Comente com o Facebook:

Top Post Ad

Below Post Ad