Caixa já tem 31,5 milhões de brasileiros cadastrados; próximo lote ainda terá informal do CadÚnico

As mães responsáveis pelo sustento da família receberão o auxílio emergencial de R$ 1.200 a partir de segunda-feira (13), no próximo lote que a Caixa Econômica pagará. Para ser contemplada, é preciso se encaixar nos critérios definidos na lei que criou o auxílio emergencial do coronavírus. O auxílio será pago em três parcelas.

Inicialmente, a previsão era pagar o próximo lote na terça (14), mas a Caixa informou que entre segunda e terça-feira será feito o pagamento para as mulheres do CadÚnico que têm poupança na Caixa e conta no Banco do Brasil. Na terça-feira será a vez dos informais do CadÚnico que abriram uma poupança digital.

Segundo a lei que criou auxílio, mães solteiras que se encaixam nas regras para ter o auxílio recebem cota dupla, de R$ 1.200. Segundo a portaria que regulamenta o auxílio, as famílias em que a mulher é a provedora terão direito a duas cotas do auxílio quando forem compostas por mulher sem cônjuge ou companheiro, com pelo menos uma pessoa menor de 18 anos de idade e sem a existência de outros componentes na família.

Pode haver direito a um auxílio de R$ 1.800 (o equivalente a três cotas) quando a família for composta por mulher sem cônjuge ou companheiro, com pelo menos uma pessoa menor de 18 anos e com a existência de componente na família que atenda aos critérios de elegibilidade do benefício.

Segundo o vice-presidente da Caixa, Paulo Henrique Angelo, todas as mães com direito estarão neste segundo lote, até as que não são clientes da Caixa e do Banco do Brasil. "As análises de quem vai receber ou não R$ 1.200 estão sendo feitas para o segundo lote", afirma.

A Caixa depositou o auxílio emergencial de R$ 600 para 2,5 milhões de pessoas nesta quinta-feira (9). No total, foram liberados benefícios a 2,1 milhões para clientes da Caixa e 436 mil correntistas do Banco do Brasil. O primeiro lote incluiu apenas trabalhadores que já faziam parte do CadÚnico (cadastro do governo federal para programas sociais) e com conta nos bancos públicos.

Ao consultarem o cadastro e as contas bancárias e perceberem que não tinham recebido o auxílio, mães ficaram com medo de não ter acesso ao benefício emergencial. No aplicativo e no site, o sistema informa apenas que o benefício está em análise.

É o caso de Andreia Oliveira, de 24 anos, que é MEI (Microempreendedora Individual) e tem uma filha de 4 anos. Mesmo tendo uma conta na Caixa, reclama que ainda não recebeu o benefício de R$ 1.200.

"Estou há dois dias verificando meu saldo no aplicativo do banco e nada. Muitas vezes o sistema fica fora do ar e nem o acesso consigo, deve ter muita gente tentando ver pelo celular se o dinheiro finalmente caiu. Fiquei esperançosa com a possibilidade, pois meu negócio está parado desde o começo da quarentena e esse dinheiro faria toda a diferença, mas não chegou nenhum auxilio para mim", diz a mecânica de automóveis.

Sthefany Araújo, 19 anos, está desempregada e tem um filho. Ela tem direito aos R$ 1.200 do benefício, mas, mesmo sendo inscrita no CadÚnico, reclama que ainda não recebeu o dinheiro. "Como já tenho o CadÙnico, não precisei fazer a inscrição, só estou acompanhando pelo site do auxílio o meu status, ele continua em análise. Não tenho o aplicativo do banco e fui até um caixa eletrônico da Caixa, descobri que o dinheiro ainda não chegou na minha conta. Achei estranho, já que muitas pessoas que têm o CadÚnico receberam. Vi que outras mães que sustentam suas casas não receberam, deve ser por isso que eu também não", relata Sthefany.



No total, a Caixa já conta com 31,5 milhões de brasileiros inscritos e 272 milhões de visitas desde que o aplicativo e o site foram liberados. O número de cadastrados refere-se apenas aos brasileiros que ainda não faziam parte do CadÚnico.
Quem tem direito ao benefício?
O cidadão maior de 18 anos que atenda a todos os seguintes requisitos:

  • Desempregado
  • Microempreendedor individual (MEI)
  • Contribuinte individual da Previdência Social
  • Trabalhador Informal
  • Pertença à família cuja renda mensal por pessoa não ultrapasse meio salário mínimo (R$ 522,50), ou cuja renda familiar total seja de até 3 salários mínimos (R$ 3.135, neste ano)
  • Não ter recebido em 2018 rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70
Quem não tem direito ao benefício?
  • Pertence a família com renda superior a três salários mínimos (R$ 3.135) ou renda mensal por pessoa maior que meio salário mínimo (R$ 522,50)
  • Está recebendo seguro-desemprego
  • Está recebendo benefícios previdenciários, assistenciais ou benefício de transferência de renda federal, com exceção do Bolsa Família
  • Recebeu rendimentos tributáveis acima do teto de R$ 28.559.70 em 2018, de acordo com declaração do Imposto de Renda.
Consulta
Clientes da Caixa e do Banco do Brasil podem conferir se o dinheiro já entrou na conta ligando para o número 111. Após fornecer informar o CPF, o sistema informará que o dinheiro já entrou na conta bancária ou que ainda está em análise, no caso de quem ainda não foi contemplado.

Saiba detalhes | Auxílio emergencial

  • O governo federal liberou o aplicativo e o site para trabalhadores informais e desempregados pedirem o auxílio emergencial de R$ 600
  • O benefício é destinado ainda a mães chefes de família, MEIs (microempreendedores individuais) e autônomos que estão sem renda devido à quarentena para combater a pandemia do novo coronavírus
  • O acesso ao aplicativo e ao site é gratuito e o único meio de se candidatar ao benefício emergencial
Como se cadastrar
  • Quem não recebe Bolsa Família e não está inscrito no CadÚnico (cadastro único) tem que solicitar o auxílio emergencial
  • Há dois caminhos para pedir o benefício

1) Pelo aplicativo de celular CAIXA | AUXILIO EMERGENCIAL

  • Para celulares Android acesse pelo link encurtado https://bit.ly/2RmzD92
  • Para celulares Apple, acesse em https://apple.co/3b5Uqpn
  • Será enviada uma mensagem de texto para o celular informado. Este código deve ser digitado no aplicativo para o cadastro
Só é possível vincular um CPF a um número de telefone

2) Site auxilio.caixa.gov.br

PASSO A PASSO


  • Em ambos, clique em “Realize sua solicitação”
  • Preencha com os dados pessoais
  • Informe seu número de celular e a operadora
  • Uma mensagem vai chegar neste celular com o código para validar o acesso. Digite esse código para continuar o cadastro
  • Responda “quanto você ganhava, em média, por mês” antes da pandemia, sua profissão e cidade e estado onde mora
  • Os dados informados serão avaliados pela Dataprev (empresa estatal de tecnologia)
  • Informe a composição familiar: quantas pessoas moram na casa e relação de parentesco. Será necessário informar CPF e data de nascimento de cada uma
  • Escolha a conta bancária onde deseja receber o benefício
  • Confira na próxima tela se todas as informações estão corretas
  • Quem tiver direito recebe o crédito em até 5 dias úteis
  • O CPF precisa estar em situação regular para que o cadastro seja feito
Como acompanhar o pedido feito
  • É possível acompanhar o andamento da solicitação pelo App ou pelo site auxilio.caixa.gov.br
  • Basta clicar em “Acompanhe sua solicitação” e digitar o número recebido no momento do pedido do benefício
  • Caso o CPF não esteja regular na Receita Federal, o App informa necessidade de regularização no site: receita.economia.gov.br
Como usar a conta digital da Caixa
  • Para quem não tem conta em banco, a Caixa criou 30 milhões de contas poupanças digitais
  • A movimentação da conta é apenas virtual, não há emissão de cartão físico
  • Para abrir esta conta não é preciso apresentar documentos
  • Também não haverá a cobrança de tarifas de manutenção
  • Para criar uma conta é preciso baixar o aplicativo CAIXA Tem. Não há cobrança
Só está disponível para celulares Android
  • Acesse pelo link encurtado http://abre.ai/aX1p
  • Após baixar o app, insira seu CPF e crie uma senha de 6 dígitos
Serviços da conta
  • Será possível fazer até 3 transferências eletrônicas (TED ou DOC) de até R$ 250 por transação e até R$ 1 mil por dia para outras contas bancárias, grátis, nos próximos 90 dias
  • Consultar saldo e extrato ilimitado pelo app
  • Pagar boleto e contas de luz, água, gás, entre outras
  • Consultar Bolsa Família, FGTS (fundo de garantia), Abono PIS, dados do NIS (Número de Identificação Social) e seguro desemprego
Para acessar a conta, é necessário colocar o número do celular e aguardar uma mensagem SMS com um código para confirmar a identificação

Fonte: Folha

Deixe seu comentário:

Postagem Anterior Próxima Postagem

Recomende e compartilhe para seus amigos no facebook